O DEM pediu, em seu site na internet, que o Ministério Público investigue o ministro da Defesa, Nelson Jobim. Segundo o partido, ele usou um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) para ir a Porto Seguro, na Bahia, passar o fim de semana prolongado na casa de praia de Francisco Gros, ex-presidente do Banco Central no governo Fernando Henrique.

Segundo a nota, para usar o avião oficial na viagem até o local combinado, Jobim marcou inspeções nos Aeroportos de Porto Seguro e Ilhéus, na manhã de quinta-feira. Ou seja, na véspera do feriado, quando servidores da Infraero decretavam greve branca e causavam congestionamento e confusão no Aeroporto de Guarulhos, Jobim fazia vistoria no pequeno Aeroporto de Porto Seguro. A assessoria de Jobim informou que o ministro não se manifestaria sobre a nota do DEM.

Jobim e o DEM já se estranharam antes. Há cerca de duas semanas, o ministro da Defesa travou um ríspido diálogo com o presidente do partido, o deputado Rodrigo Maia (RJ). Na ocasião, numa festa no apartamento do senador Demóstenes Torres (DEM-GO), Jobim foi interpelado por Maia sobre uma nota da imprensa.