Brasília – O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Maurício Corrêa, fez ontem severas críticas ao Executivo, afirmando que o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva “está um pouco tonto” e sendo “leniente”, porque não adota medidas enérgicas para enfrentar crises como as provocadas por invasões de sem-terra e sem-teto e pela insegurança no Rio de Janeiro. Ele deve deixar o cargo em menos de um mês, por força de aposentadoria compulsória.

“Tudo se traduz no seguinte: falta de ação governamental falta de políticas definitivas que possam atender a essa intranqüilidade que está sendo gerada hoje no Brasil”, disse. Para Maurício Corrêa, o estado democrático de direito corre risco. “Há prenúncio de que corre risco o estado de direito democrático que foi construído. Eu não falo isso com nenhum alarme, espero que não aconteça, mas o que eu quero enfatizar aqui é que essa leniência do governo com relação a medidas mais enérgicas que têm de ser enfrentadas com relação às invasões e os crimes que têm sido cometidos, isso não é algo que possa deixar a cidadania brasileira tranqüila”, afirmou Corrêa.

Segundo Correa, o governo não corresponde às expectativas quanto à reforma agrária. “Hoje o Brasil possui algo significativo no campo do desenvolvimento da economia, o agronegócio. Se hoje conseguimos uma boa produção de soja, e outros itens do agronegócio, tudo isso pode ser prejudicado”, disse.