Brasília – O deputado Virgílio Guimarães (PT-MG) proporá ao governo a privatização do salário-família, que hoje é pago pelos cofres da Previdência Social. A proposta está nos estudos feitos pelo petista, a pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e que prevêem dobrar o poder aquisitivo do salário mínimo até 2006. Em novembro, o projeto prevê a elevação do mínimo para R$ 268. “No final do governo Lula, o mínimo deverá estar em torno dos R$ 500”, afirmou Guimarães.

Ele explicou que seu projeto irá estabelecer sistema pré-definido de reajuste do mínimo, escalonado duas vezes ao ano, de 2004 até 2010. “Em 2010, a idéia é que o salário mínimo seja o proposto pelo Dieese.

Pelo projeto do petista, a iniciativa privada passará a arcar com o pagamento do salário-família. Guimarães disse que, para dobrar o poder aquisitivo do mínimo até o fim do mandato de Lula, a idéia é somar o mínimo ao salário-família.

“Mas o reajuste do mínimo será separado do reajuste do salário-família”, observou. O projeto elaborado por Guimarães faz parte da proposta do governo de criar a política de recomposição do valor do mínimo.

Estudo

“O que há é uma idéia do deputado Virgílio Guimarães que está estudando, com a participação dos líderes da base, a proposta para que o salário mínimo tenha uma política permanente de recomposição do seu valor de compra”, esclareceu o ministro da Coordenação Política, Aldo Rebelo, ao observar que não conhece a proposta e não sabe como será sua aplicação.