Depois de permanecer internado em coma induzido por mais de um mês, o deputado federal Ricardo Izar (PTB-SP), presidente do Conselho de Ética da Câmara, morreu na sexta-feira (2) às 16h, aos 69 anos de idade, vítima de um aneurisma na artéria aorta. O corpo foi velado, na sexta-feira (2) a noite, na Assembléia Legislativa de São Paulo e o enterro está marcado para este sábado (3), às 15h, no cemitério Araçá, no bairro da Consolação, região central da capital paulista.

De acordo com assessoria do parlamentar, Izar passou mal, no dia 27 de março, durante um jantar no clube Sírio-Libanês, na zona sul de São Paulo. Com fortes dores no peito, o deputado recedeu os primeiros atendimentos no próprio local e, depois, foi removido para o Hospital do Coração (Hcor), onde foi submetido a cirurgia para a correção do aneurisma. Desde então, permaneceu em coma induzido.

Ricardo Izar era casado com Marisa Mauad Izar. Ele deixou dois filhos e uma neta. Izar ocupava o sexto mandato como deputado federal pelo PTB e o segundo na presidência do Conselho de Ética da Câmara. Ele também foi deputado estadual durante quatro legislaturas consecutivas.

Deputado constituinte, Izar teve 147 propostas aprovadas, o que lhe valeu o título de parlamentar com maior número de emendas incorporadas ao texto constitucional.

Fora da política, Ricardo Izar foi professor de Legislação Trabalhista no curso de Segurança e Higiene do Trabalho e diretor do Centro Educacional do Ibirapuera.