O Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou a medida liminar que permitiu o acompanhamento de 13 deputados federais da sessão secreta do Senado, que julga o pedido de cassação do presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL). Por 6 votos a 4, o Supremo confirmou a decisão do ministro Ricardo Lewandowski, tomada nesta quarta-feira (12) de madrugada. Por ser polêmica, Lewandowski colocou a decisão em votação no plenário do tribunal, onde foi aprovada.

Votaram pela confirmação da liminar os ministros Ricardo Lewandowski (relator), Carlos Britto, Cármen Lúcia, Marco Aurélio Mello, Celso de Mello, além da presidente do Supremo, Ellen Gracie. Contra a liminar votaram Meneses Direito, Joaquim Barbosa, Cesar Peluzzo, Gilmar Mendes. O ministro Eros Grau não participa da sessão. Ele está internado em São Paulo recuperando-se de uma cirurgia.