São Paulo

(AE) – Escoltados por 50 policiais fortemente armados, dez carros e um helicóptero da Polícia Civil, dez líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC) foram transferidos na manhã de ontem da carceragem do Departamento de Investigações contra o Crime Organizado (Deic) para a o Centro de Reabilitação Penitenciária (CRP), em Presidente Bernardes, prisão de segurança máxima, única a contar com sistemas de bloqueio de telefones celulares. A alta cúpula do PCC foi colocada em um vôo fretado, da empresa Rio-Sul. Na quinta-feira, a polícia prendeu 18 pessoas, entre elas três advogados, ligadas ao PCC, identificou 41 chefes do grupo e desativou 32 centrais telefônicas. A previsão ontem era transferir 15 presos para o CRP de Presidente Bernardes, mas cinco detentos, entre eles o principal líder do PCC, Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, ficaram no Deic para prestar novos depoimentos durante a semana.