O juiz Adilson Paukoski Simoni, da 5.ª Vara do Júri da Capital, decidiu nessa quinta-feira, 15, enviar Elize Matsunaga a júri popular, pela morte do marido, Marcos Kitano Matsunaga, e por ocultação de cadáver. De acordo com o magistrado, há indícios de que Elize teria agido por motivo torpe.

 

Para o juiz, Elize matou e esquartejou o marido para vingar-se de uma traição – evitando, assim, que uma amante lhe causasse prejuízos sociais e materiais. Além disso, o homicídio, em maio de 2012, teria o objetivo de ficar com o valor do seguro de vida e a administração dos bens do casal. Marcos Matsunaga era diretor executivo da Yoki. Não foi marcada data para o julgamento. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.