O engenheiro de manutenção do parque Hopi Hari, em Vinhedo, no interior de São Paulo, prestou depoimento nesta terça-feira, 28, na delegacia da cidade para falar sobre o funcionamento dos brinquedos do centro de lazer.

O engenheiro começou a ser ouvido por volta das 10 horas pelo delegado Álvaro Santucci Noventa Júnior, responsável pelas investigações do acidente no local que matou a adolescente Gabriella Nishimura, de 14 anos. A jovem morreu na última sexta-feira (24) após cair do brinquedo Torre Eiffel.

O nome dele não foi divulgado. Ele falou sobre os procedimentos de funcionamento e manutenção dos equipamentos do parque.

Na segunda-feira, 27, o delegado afirmou que a principal hipótese para a causa do acidente que matou Gabriella é a de falha humana. A declaração foi feita após equipes vistoriarem o parque. A perícia não apontou indícios de falhas técnicas no equipamento.

O Ministério Público instaurou inquérito civil para investigar a segurança do Hopi Hari para os visitantes. O órgão aguarda a conclusão do laudo pericial que será juntado à investigação criminal. No inquérito serão realizadas diligências que incluem a análise de documentos relacionados à manutenção dos brinquedos, já solicitados à direção do parque.