O advogado Ércio Quaresma, ex-defensor do goleiro Bruno Fernandes de Souza no processo em que o ex-capitão do Flamengo é acusado de envolvimento no desaparecimento e já considerada morte de Eliza Samudio, será julgado na tarde de hoje na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Minas Gerais, por conta da repercussão negativa para a dignidade da advocacia, após a divulgação de imagens em que estaria supostamente usando crack.

O julgamento, que será sigiloso, está previsto para começar às 14 horas na sede da OAB, no bairro Cruzeiro, em Belo Horizonte. Ércio Quaresma será julgado por uma Câmara do Tribunal de Ética e Disciplina da entidade, que é composta por seis julgadores, e o presidente do Tribunal, Décio Mitre. Segundo a OAB, se condenado, Quaresma poderá até ser expulso da entidade. Independentemente do resultado, cabe recurso na OAB federal, em Brasília, de acordo com o órgão.