A menina Ana Carolina Fernandes Pontes, de 9 anos, continua internada em estado grave, após cirurgia no Hospital Miguel Couto, na zona sul do Rio. A criança foi atingida por um tiro na cabeça disparado por ela mesma, acidentalmente, ao manusear uma pistola calibre 635 do pai dentro de casa, no bairro Piraquê, região de Pedra de Guaratiba, na zona oeste da cidade.

O pai, o comerciante Raimundo Nonato Mendes Pontes, de 36 anos, disse na 43ª Delegacia de Polícia, de Guaratiba, que havia deixado a arma escondida debaixo de um bicho de pelúcia sobre o guarda-roupas e que se ausentou por apenas 10 minutos para comprar material de construção pois realizaria um reparo no imóvel. No momento em que ocorreu o disparo estavam também na residência o irmão, de 6 anos, e a irmã, 2, da vítima.

A pistola estava municiada e travada. Carolina conseguiu destravar a arma e atirar. O irmão correu e avisou a vizinha. Em seguida o pai chegou e chamou a polícia. A bala entrou na altura da nuca e saiu pela testa. O comerciante foi autuado por porte ilegal e omissão de cautela na guarda da arma. Raimundo, que trouxe a pistola do Ceará e nunca teve necessidade de usá-la, pagou fiança de R$ 500,00 para ser liberado e vai responder em liberdade.

O delegado Antonio Ricardo Nunes desconfia da versão do pai de que as crianças não sabiam onde a arma estava. Para o delegado, 10 minutos não seriam o suficiente para Ana encontrar a pistola e atirar. Além disso, a distância entre o guarda-roupas e a beliche das crianças é pequena e facilita o acesso à parte superior do móvel onde estava a pistola.