Quem chega ao Forte de Copacabana para participar do Humanidade, um dos eventos paralelos da Rio+20, se depara logo na entrada com um vazamento de esgoto, que escorre pelo caminho onde os visitantes passam, deixando forte cheiro.

Segundo a assessoria do evento, o problema é do próprio forte e não está ligado à estrutura montada para abrigar o Humanidade -que recebeu mais de 8.000 pessoas ontem, em seu primeiro dia, e estima receber uma média 10 mil por dia.

A assessoria da base militar, por sua vez, disse não ter identificado ainda a causa do vazamento, mas que algo do tipo “nunca aconteceu antes”. Na grande estrutura de quatro andares montada para abrigar as exposições e debates do Humanidade há dois pontos que concentram os banheiros públicos, mais alguns sanitários espalhados.

De acordo com a organização, a Cedae, companhia de água e esgoto do Rio, já foi acionada para resolver o problema.