Cerca de 150 trabalhadores demitidos da Webjet fazem um “apitaço” contra o fim da companhia aérea no final da tarde de hoje no aeroporto Santos Dumont, no centro do Rio.

Comandantes, comissários, aeromoças e mecânicos pedem “Justiça e reversão das demissões”. Eles sugerem que a Gol – empresa que adquiriu a Webjet – recontrate a equipe.

“Foram 850 demissões. A população precisa saber que isso é ruim para os trabalhadores e também para os passageiros que sofrem com o aumento das passagens por conta da eliminação de mais uma concorrente”, diz o comandante André Carneiro, que trabalhou quatro anos na companhia aérea.

Os manifestantes usam uniformes da Webjet e percorrem o terminal do aeroporto levando faixas e cartazes com os dizeres: “e agora Dilma? Governo omisso. Gol covarde”. Eles também usam um alto-falante para gritar por “Justiça”.

“É uma baixaria, uma falta de respeito abandonar os trabalhadores dessa forma”, lamenta Fabrício Abreu – ex-funcionário da empresa.

O grupo de manifestantes formou um corredor humano na entrada de embarque para pedir apoio aos passageiros. Houve aglomeração de pessoas, sem confusão. Em seguida, eles seguiram para o setor de desembarque.

“É um incômodo, mas talvez um alívio para quem faz a manifestação em busca de Justiça. As pessoas tem o direito de protestar”, disse favorável ao protesto o designer Eduardo Salles, quando desembarcava em meio ao barulho do “apitaço”.