O policial militar aposentado Mizael Bispo de Souza matou a advogada Mércia Nakashima, sua ex-namorada, por achar que era traído. Ele ainda premeditou o crime, segundo afirmou ontem o diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Marco Antônio Desgualdo. No crime, Souza contou com a ajuda do amigo, o vigia Evandro Bezerra da Silva. Detido em Sergipe na sexta-feira, o vigilante foi indiciado por homicídio.

O ex-PM está foragido desde sábado e deverá ser indiciado. O Ministério Público pediu ontem à Justiça a conversão da prisão temporária de Souza em preventiva. “O inquérito está perfeito, substancioso. Há prova testemunhal e objetiva”, afirmou Desgualdo. “O crime foi premeditado.” A polícia afirma que Souza planejava o assassinato desde o início de maio. Anunciara a Silva que a mataria por ser se sentir humilhado e rejeitado por ela.

O advogado de Souza, Samir Haddad, afirmou que seu cliente não se apresentará. Ele disse que vai pedir um habeas corpus para o ex-PM. O advogado José Carlos da Silva, defensor do vigia, não atendeu a reportagem.