São Paulo (AE) – O Exército brasileiro está investigando o grupo responsável pelo seqüestro do publicitário Washington Olivetto. Oficiais da Inteligência do Exército estiveram na Divisão Anti-Seqüestro (DAS) de São Paulo recolhendo dados sobre o caso, uma ação dos grupos chilenos Frente Patriótica Manuel Rodrigues (FPMR) e Movimento de Esquerda Revolucionário (MIR), da qual pode ter participado o Exército de Libertação Nacional (ELN), segundo maior grupo da guerrilha colombiana.

Os oficiais do Exército apresentaram-se em trajes civis. Eles também mantiveram contato com a Polícia Federal e obtiveram cópias de documentos e de fotos apreendidas nas quais os seqüestradores presos em Serra Negra aparecem descontraídos, que mostram os foragidos, militantes dos grupos e pessoas ligadas a eles.

Desde os atentados de 11 de setembro, a inteligência militar retomou contatos com órgãos estrangeiros a fim de recolher informações sobre a atuação na América do Sul de grupos tidos como terroristas. Outro fator de preocupação do Exército é a possibilidade de a guerrilha colombiana usar o Brasil como base para o tráfico de armas e operações para arrecadar fundos, como seqüestros.