O soldado Kaio Cesar França Carvalho, de 19 anos, que foi preso na terça-feira (30) com produtos furtados pela “gangue da marcha à ré”, corre risco de ser desligado da Aeronáutica caso ele seja condenado por receptação. Contudo, segundo a assessoria de imprensa da Aeronáutica, como o soldado não é suspeito por nenhum crime militar, por enquanto está apenas à disposição da Justiça. Carvalho está preso em um quartel da Aeronáutica em Santana, na zona norte de São Paulo.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado, o militar foi abordado na tarde de ontem no cruzamento das avenidas do Estado e Dom Pedro I, na região do Cambuci, no centro da capital. Ele tinha em seu carro diversas roupas da marca Everlast. Outros artigos foram encontrados na casa dele. No 78º Distrito Policial, no Jardins, onde o boletim de ocorrência foi registrado, o soldado confessou ter comprado os produtos de membros da quadrilha que invadiu lojas de grifes famosas no Itaim-Bibi.

O bando cometeu mais de dez furtos neste ano. Os criminosos usam carros roubados para arrombar as portas dos estabelecimentos. Na semana passada, um adolescente de 17 anos foi apreendido sob acusação de participar dos ataques. A polícia tenta agora identificar se o soldado participou dos assaltos feitos pela quadrilha, por meio das imagens registradas pelas câmeras das lojas furtadas nas últimas semanas.