São Paulo

– Um falso médico que trabalhava em um posto de saúde municipal foi desmascarado em Boiçucanga, em São Sebastião (SP), após pedir um exame de próstata para uma mulher. Vanderlei Pereira trabalhou durante um ano e três meses no posto de saúde da cidade. O falso médico chegou a atender por três vezes o vereador local Wagner Teixeira. Nas três consultas Vanderlei receitou o mesmo medicamento. Detalhe: uma consulta era para tratar a garganta, outra para uma costela quebrada e outra para uma torção no tornozelo.

A Polícia Civil de São Sebastião vai pedir ajuda ao Paraná para localizar Pereira, que será indiciado por exercício ilegal da profissão e falsificação de documentos. O delegado Odair Bruzzos, que investiga o caso, informou que para localizar o acusado, vai pedir a ajuda da Polícia Civil do Paraná. “Também vamos pedir ao Instituto de Identificação do Paraná a verdadeira identidade deste homem”. Bruzzos acredita que ele também pode ter usado nome falso.

O falso médico apresentava um diploma de uma universidade paranaense e a prefeitura de São Sebastião, que contratou seus serviços, não desconfiou de nada, já que a documentação apresentada por ele estava autenticada e a anuidade do Conselho Regional de Medicina (CRM) em dia. O Conselho descobriu que o diploma era falso e disse que avisou a Polícia Federal.

Investigação

A constatação de que Pereira atuava como médico de forma ilegal foi dada pelo Conselho Regional de Medicina (CRM) na semana passada, quando um documento enviado pelo órgão à Polícia Civil comprovou a fraude. Segundo o documento do CRM, o acusado usava o número 107012, que está em nome de outra médica de São Paulo. Os dados constam em receita médica que ele emitiu no Pronto-Socorro de Boiçucanga onde atuou como clínico geral entre janeiro de 2002 ao início do mês passado.

Pereira desapareceu depois de ficar sabendo que a polícia investigava a procedência do diploma e do registro do CRM apresentados por ele ao Departamento Pessoal da prefeitura de São Sebastião antes de sua contratação.