Com orçamento de aproximadamente R$ 12,5 milhões, a Fifa Fan Fest do Distrito Federal, realizada no Taguaparque, em Taguatinga, não correspondeu à expectativa dos organizadores e decepcionou em relação ao público final do evento, estimado em 350 mil pessoas ao longo dos 25 dias de festa.

Promovida pelo governo do Distrito Federal (GDF), em parceria com a Fifa e Rede Globo, a Fan Fest de Brasília foi montada em espaço para comportar até 50 mil pessoas dentro do parque e outras 20 mil do lado de fora, nos arredores da área cercada. Entretanto, em nenhum dia o local recebeu a capacidade máxima de público. O recorde foi estabelecido no dia 4 de julho, quando 45 mil torcedores acompanharam a vitória do Brasil por 2 x 1 sobre a Colômbia.

Questionado antes do início do Mundial sobre qual o motivo da mudança da Fan Fest da Esplanada dos Ministérios, área central da cidade, para Taguatinga – o Taguaparque fica a 25 km do Estádio Nacional Mané Garrincha -, o secretário extraordinário da Copa, Cláudio Monteiro, argumentou que “a área em torno do parque concentra mais da metade da população do DF” e que “todas as questões de segurança e localização foram levadas em consideração para garantir a presença do maior público possível”.

A festa na capital começou de maneira empolgante. Logo na partida de abertura da Copa entre Brasil x Croácia, a Fan Fest do DF contou com show do cantor sertanejo Gustavo Lima e registrou o maior público das 12 sedes, com 40 mil pessoas. Fortaleza veio na sequência com 35 mil pessoas, seguida de São Paulo, com 30 mil.

No entanto, os brasilienses foram perdendo o interesse pela festa. Porto Alegre, por exemplo, montou um espaço para um público menor e terminou a Copa com público total de 437 mil pessoas. Em Manaus, também em um espaço menor, meio milhão de pessoas torceram pela seleção. Já no Rio de Janeiro, mais de 800 mil pessoas compareceram à Praia de Copacabana nos 25 dias de festa.

Paraná Online no Facebook