O presidente Fernando Henrique Cardoso exigiu hoje a apresentação de ?elementos concretos e objetivos? ou uma ?retratação? do candidato a presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que acusou o governo de montar um esquema de terrorismo contra o processo eleitoral, ao denunciar uma suposta cobrança de propina na prefeitura de Santo André, no Grande ABC (SP), para financiamento de campanha do partido. A resposta do governo foi dada pelo chefe da Casa Civil, Pedro Parente, num breve pronunciamento, ao ?repelir? as denúncias por considerá-las ?graves?.

Parente não especificou, no entanto, que tipo de ação o governo poderá tomar contra Lula, caso ele não apresente as provas em relação às acusações ou não se retrate. Normalmente, este tipo de exigência só é feita quando uma pessoa apresenta uma interpelação judicial para, depois de notificar o acusador, dar entrada numa ação na Justiça denominada de notícia-crime. Com esta ameaça, Fernando Henrique comprou a guerra com o PT e resolveu entrar diretamente na batalha eleitoral.