O presidente Luiz Inácio Lula da Silva na sua avaliação sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre fidelidade partidária, salientou que agora temos "que respeitar, e fazer cumprir (a decisão)". O presidente explicou ainda que "não tem porque orientar a base." "É uma decisão da Suprema Corte. Alguns partidos que se sentiram prejudicados, queriam um parecer da Suprema Corte e ela deu. Cautela e caldo de galinha não faz mal para ninguém, portanto nem governador, nem presidente comentam". Lula disse achar positiva a fidelidade partidária.

"A fidelidade partidária é uma coisa importante, até para fortalecer os partidos políticos. É muito importante. Estas coisas você não pode mexer no meio do caminho. Essas coisas você precisa construir com as pessoas sendo candidatas, sabendo que as regras são estas e que portanto, não podem mudar. As vezes não é apenas um deputado que muda, ou senador. As vezes é o partido que muda. Neste caso, nós temos partidos que até mudou de nome. Portanto, deputados não são obrigados a ficar no partido que tem um nome diferenciado", disse hoje, em Florianópolis.