Brasília – A deputada Denise Frossard (PPS-RJ) criticou a falta de foco da CPI dos Correios e disse que sente ?cheiro de pizza no ar?, referindo-se a um suposto acordo entre PT, PFL e PSDB para esfriar as investigações da comissão. ?Vamos ouvir hoje um carregador de mala?, reclamou a deputada, sobre o depoimento de David Rodrigues Alves, um dos principais sacadores das contas do empresário Marcos Valério de Souza, marcado para ontem à tarde.

Para ela, a comissão deveria ouvir deputados citados nas investigações e beneficiados pelos saques nas contas de Valério, acusado de ser operador do suposto esquema do ?mensalão?. Denise Frossard criticou o deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-RJ), que apresentará um pedido para a CPI enviar um grupo de deputados a Lisboa para investigar as relações de Valério com empresas em Portugal.

No mês passado, um jornal português publicou declaração do ex-ministro de Obras Públicas de Portugal António Mexia, dizendo que ele tinha recebido Valério como ?consultor do presidente do Brasil?. Na quarta-feira, Valério negou que tenha se apresentado dessa forma e o Palácio do Planalto refutou qualquer autorização nesse sentido.

?A CPI está perdendo o foco, nós não estamos investigando o presidente Lula. A CPI está rolando ladeira abaixo?, disse a deputada. O presidente da comissão, senador Delcidio Amaral (PT-MS), negou que exista qualquer acordo em andamento, sendo acompanhando por parlamentares do PFL e do PSDB. ?Se tiver pizza, será nossa sentença de morte?, disse o deputado Eduardo Paes (PSDB-RJ). O deputado Onyx Lorenzoni (PFL-RS) disse estar ?disposto a pôr lenha na fogueira para evitar pizza?.