Brasília – A greve dos funcionários da Caixa Econômica Federal (CEF) deve se manter na segunda-feira. Por este fim de semana foram suspensas as negociações entre a direção da instituição em Brasília e os bancários, parados desde a 3ª feira (14).

A assembléia da categoria, marcada para amanhã (19), foi confirmada pelo sindicato, que adiantou que a votação será pela manutenção do movimento. São Paulo e Rio de Janeiro também permanecem sem expediente e só realizam outra assembléia na 2ª feira (20), no final do dia.

De acordo com o diretor do Sindicado dos Bancários do Distrito Federal, Orlando Gasparin, os dois lados devem retomar as discussões na 2ª feira. Ele avalia que se os funcionários não receberem uma proposta adequada, a greve pode ganhar força. “A greve cresce no país. Estados como Rio Grande do Sul e Paraná, que entraram no movimento na 6ª feira, trouxeram mais vitalidade”, disse o sindicalista.

Os funcionários da CEF querem reajuste de 12,6% para todas as verbas da remuneração, aumento de R$ 50 para R$ 80 nos valores do tíquete alimentação, além de antecipação do pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR), que de acordo com a proposta da direção da CEF só seria pago em março de 2004.

O Sindicato dos Bancários diz que conseguiu manter fechados pelo menos 95% das agências na 6ª feira (17), mas a CEF divulgou nota à imprensa afirmando que mais da metade das agências estava aberta. Por meio da assessoria de imprensa a CEF diz também que hoje 70% das operações bancárias da instituição já podem ser feitas pelos terminais de auto-atendimento, que estão funcionando normalmente, segundo as informações oficiais do banco.