São Paulo – Começa na próxima quarta-feira (11) a greve dos funcionários da Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária (Infraero) que trabalham no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, por tempo indeterminado. A paralisação foi decidida em assembléia geral da categoria no último dia 5. Deverão ser afetadas as áreas de navegação, segurança, operações, administração e carga aérea do aeroporto.

Na próxima segunda-feira (9), os funcionários do Aeroporto Internacional Galeão-Tom Jobim, no Rio de Janeiro, também decidem em assembléia a realização ou não de greve.  

A assembléia do funcionários de Guarulhos, segundo o diretor do Sindicato Nacional dos Aeroportuários, Francisco Lemosteve, teve a participação de 125 dos cerca de 1.400 funcionários do aeroporto e a decisão foi unânime. Os trabalhadores reivindicam, principalmente, reposição salarial de 33% e contratação de 1.800 novos funcionários.

Segundo Lemos, a decisão foi tomada após cinco rodadas de negociação com a Infraero. De acordo com ele, a empresa ofereceu 4% de reposição salarial e redução de benefícios.

O diretor do sindicato afirmou que a paralisação refletirá na operacionalidade final do aeroporto e atingirá os passageiros. ?Estamos com o efetivo de dez anos atrás, que não está crescendo na mesma proporção que a demanda?, denunciou.

A Infraero afirmou, por meio da assessoria de imprensa, que continuará negociando com os aeroportuários a reivindicação de reajuste salarial. A estatal informou também que não conta com uma greve dos aeroportuários e pretende negociar até esgotar as possibilidades e evitar a paralisação.