Servidores da ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos) do Ceará paralisaram as atividades por cerca de 12 horas em Fortaleza (CE) hoje. Eles reivindicam melhores condições de trabalho.

Cerca de cem trabalhadores saíram às ruas pela manhã, em passeata até o centro da cidade. Os Correios empregam 2.730 funcionários no Ceará, entre concursados e terceirizados.

Nem sindicato nem empresa souberam dizer o número de servidores que participaram da paralisação, mas a direção dos Correios disse que não houve prejuízos na distribuição das correspondências no Estado.

A principal reclamação da categoria é a falta de segurança durante a atividade.
De acordo com o sindicato da categoria no Ceará, os funcionários trabalham com medo de assaltos nas agências e nas ruas durante a distribuição de correspondências. Somente neste ano, mais de dez ações contra agências foram registradas no Estado.

Outras reivindicações

Além da insegurança, a categoria reclama de sobrecarga de trabalho, falta de funcionários e da possibilidade de privatização dos Correios.

Os servidores pedem ainda uma reformulação no sistema de avaliação de produtividade da categoria.

Por meio da assessoria de imprensa, os Correios informaram que a empresa não se pronunciará sobre as manifestações dos servidores até que a categoria envie formalmente as reivindicações da categoria.

Segundo o sindicato nacional da categoria, o protesto de hoje em Fortaleza se estenderá a outras capitais.