São Paulo (AG) – De olho nos votos dos evangélicos, o pré-candidato à Presidência Anthony Garotinho (PSB) decidiu levar ao pé da letra a idéia do “santinho” de campanha – nome como ficaram conhecidos popularmente os panfletos com nome e número dos candidatos. Um grupo de amigos e correligionários do ex-governador do Estado do Rio, denominado Movimento Fé no Brasil, está distribuindo kits voltados especificamente para os evangélicos.

O principal item do pacote é um marcador de Bíblia, apetrecho indispensável entre os fiéis. O kit tem ainda uma camiseta, um exemplar do livro “Virou o carro, virou minha vida”, no qual Garotinho relata sua conversão, e um panfleto no qual se anuncia como pré-candidato à Presidência.

Até agora, foram enviados cerca de dois mil kits, todos para pastores evangélicos, que costumam orientar o rebanho nas eleições. O Movimento Fé no Brasil, com sede no Rio, é liderado pelo ex-subsecretário do Gabinete Civil de Garotinho Everaldo Dias Pereira. O movimento não tem estimativa de quanto foi gasto até agora. As despesas estão sendo bancadas com dinheiro próprio pelos integrantes do grupo. Segundo eles, a demanda pelos kits é tanta que o movimento não consegue atender a todos os pedidos.

Propaganda

De acordo com a legislação eleitoral, só é permitida propaganda eleitoral a partir de 6 de julho, quando forem oficializadas as candidaturas. Mas, como a iniciativa de distribuir os kits não partiu de Garotinho nem do PSB, a estratégia não configura crime eleitoral.

Além dos kits, outro grupo de evangélicos simpatizantes de Garotinho está distribuindo panfletos com propaganda do pré-candidato também voltados para os fiéis. Só no Estado de São Paulo foram distribuídos até agora mais de um milhão de panfletos. No texto, escrito antes da saída de Garotinho do governo do Estado do Rio, não se pedem votos, mas apenas orações em prol do bom desempenho do pré-candidato à frente da administração estadual e, “se for da vontade de Deus”, à sua pré-candidatura à Presidência.

Neste caso, a distribuição é no varejo. Pastores simpatizantes de Garotinho recebem os “pedidos de oração” e os distribuem aos fiéis. – É uma mostra da união do povo evangélico em apoio ao pré-candidato Garotinho – explicou o presbítero Paulo Katz, da Assembléia de Deus (igreja que declarou apoio oficial ao tucano José Serra), que é vereador em Taubaté (SP) pelo PSB.