Rio – O secretário de Segurança do Estado do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, disse ontem, em entrevista ao programa Fala, governadora, da Rádio Tupi, estar intrigado com pelo menos dois detalhes do crime dos americanos Todd e Michelle Staheli, na Barra da Tijuca, ocorrido no domingo passado. O secretário estranhou o fato, confirmado nos depoimentos dos dois filhos do casal, de o americano ter sido encontrado com o travesseiro sobre o rosto. Ele afirmou que isso indica que o criminoso não quis ver o resultado de seus atos. “Algo que desde o início, e que ontem foi confirmado no depoimento dos filhos do casal, me chama a atenção é o fato de o pai das crianças, depois de ter recebido todas aquelas pancadas, ter sido encontrado com um travesseiro sobre o rosto. Ou seja: quem fez aquilo não queria ver depois a imagem. É intrigante”, afirmou Garotinho, que completou: “Outro fato intrigante é que o menino, quando prestou depoimento, disse que a machadinha era dele e que não havia outra, só aquela. E que durante a festinha à tarde, com seus colegas de colégio, ele brincou com a machadinha, mostrou aos colegas e depois levou-a para o armário do seu quarto. Só que ela foi encontrada no quarto da menina. Nós não estamos acusando ninguém. O papel da polícia é esclarecer os fatos e a polícia certamente vai esclarecer”. Garotinho voltou a descartar a possibilidade de latrocínio e ressaltou que os cortes nos dois americanos foram causados mais pelo impacto do que pela capacidade de corte da arma utilizada pelo assassino.