O garoto João Vitor Borges, de 5 anos, foi arrastado por sete quadras pelo microônibus escolar, na tarde desta terça-feira (3), em São José do Rio Preto, a 450 quilômetros de São Paulo. O menino, que estuda na escola municipal Júlio de Farias, enroscou a blusa na traseira do veículo, quando voltava para casa, no jardim Nunes, zona norte da cidade. Apesar da gravidade do acidente, o garoto sofreu apenas escoriações leves.

O motorista do microônibus, Sidnei Ferreira Barbosa, de 39 anos, não percebeu a presença do garoto, acelerou pela rua e só parou depois de percorrer mais de sete quadras, alertado pelos gritos das pessoas que perceberam o garoto pendurado no pára-choques. Uma das testemunhas do acidente, a monitora escolar Natália Evelin dos Santos, que acompanha a entrada e saída das crianças do microônibus, disse que "as poucas pessoas que tinham na rua começaram a gritar e as crianças também, daí o motorista freou".

"Graças a Deus ele ficou pendurado e teve apenas parte do corpo arrastada no asfalto. Felizmente, foi só um susto", comentou a mãe do garoto, Romualda Borges, horas depois do acidente. A mãe levou o filho ao posto de saúde do bairro Santo Antônio, onde menino foi medicado e liberado, para ficar em observação em casa. Segundo os pais do garoto, o motorista do ônibus se recusou a prestar atendimento. "Ele queria levar as outras crianças para casa para depois levar meu filho ao médico. Um vizinho é que o levou ao posto de saúde", disse o pai, Pedro Borges.