Brasília (AG) – O presidente nacional do PT, José Genoino, defendeu ontem a negociação pontual com a oposição dos principais projetos que estão sendo discutidos no Congresso para evitar que a disputa eleitoral prejudique as votações na segunda semana de esforço concentrado, que será realizada entre os dias 13 e 17 deste mês.

Embora a campanha eleitoral esteja entrando numa fase de maior disputa, Genoino acredita que o esforço concentrado pode dar certo se for negociado previamente o que deve ser votado. Para ele, a negociação deve ter pelo menos três itens: as PPPs (Parceria Público-Privada), a Lei de Falências e a Lei de Biossegurança.

“Se for negociado previamente o que tem de ser votado, vai dar certo. Tem de votar a PPP, Lei de Falência e a Lei de Biossegurança. Uma coisa é a eleição, outra a negociação no Congresso. A campanha eleitoral tende a entrar em uma fase com muito mais disputa, mas não pode vincular as duas coisas. Temos de negociar pontualmente com a oposição para votar a PPP”, afirmou.

Genoino não teme que a pressão inflacionária prejudique o crescimento da economia. O presidente do PT disse que é preciso manter a tranqüilidade e a política econômica, que segundo ele está dando certo.

“Não tem essa relação. Nesse momento temos de manter a tranqüilidade e a política econômica, que está dando certo. Temos de manter os rumos da economia sem muito barulho. Muita criatividade pode atrapalhar neste momento. É importante viabilizar os investimentos em infra-estrutura. Por isso temos de votar a PPP, a Lei de Falências e a Lei de Biossegurança”, disse Genoino.

Recesso

Ontem, começou mais uma semana de “recesso branco” no Congresso Nacional. Durante o período, a maioria dos parlamentares permanece em suas bases eleitorais para participar das campanhas ou ajudar candidatos nas eleições de outubro. Cerca de 100 parlamentares são candidatos nestas eleições.

Por causa do feriado do Dia da Independência, o Senado realizou sessão deliberativa somente ontem (06). Desde o dia 26 de agosto, não ocorrem votações no Senado e na Câmara e as sessões do plenário são utilizadas apenas para pronunciamentos dos parlamentares. As votações nas duas Casas serão retomadas no dia 14 de setembro.