O ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou nesta sexta-feira (28) que a legislação precisa ser mais dura na punição de motoristas "que usam o automóvel como arma". Genro indicou, sem dar detalhes, que o governo deve buscar referências na legislação de países mais avançados para propor punição aos motoristas imprudentes ou que dirigem sob efeito de drogas e álcool. O ministro disse que irá avaliar mudanças "rigorosas" nas leis durante os meses de janeiro e fevereiro.

Segundo o ministro, 90% dos acidentes são causados por motoristas irresponsáveis que não obedecem a sinalização, estão alcoolizados ou violam as leis de trânsito. Ele lembrou que determinou à Polícia Rodoviária Federal maior rigor na fiscalização durante o feriado de Ano-Novo, se necessário com a convocação de patrulheiros que estão em férias. Genro também observou que o aumento de frota de veículos e o crescimento econômico, que gera mais viagens, também contribuíram para o maior número de acidentes, mas "nada justifica a irresponsabilidade de poucos e o desprezo pela vida humana que certas pessoas têm". O número de acidentes foi recorde nas estradas federais no feriado de Natal.

O ministro participou da assinatura de um convênio que repassa R$ 2,3 milhões ao Instituto Ronaldinho Gaúcho para realização dos Jogos Gaúchos de Verão. Conforme a prefeitura de Porto Alegre, que também integra o convênio, mais de dois mil jovens devem participar de atividades esportivas nos finais de semana no instituto, criado pelo jogador do Barcelona há um ano na zona sul da capital gaúcha. Genro disse que a iniciativa está entre as 93 ações do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci) e pretende acolher jovens em diversas atividades, evitando sua exposição a situações de risco,