O Ministério Público entrou com um pedido na Justiça para que Gil Rugai, de 29 anos, seja monitorado com tornozeleira eletrônica e compareça todo mês ao cartório. Segundo o promotor Rogério Zagallo, autor do pedido, há “risco de Rugai fugir, caso tenha de cumprir regime fechado”. O rapaz foi condenado a 33 anos e 9 meses de prisão, pelo assassinato de seu pai e de sua madrasta, mas recorre em liberdade. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.