Brasília – Os cinco governadores escolhidos para representar os colegas nas negociações da reforma tributária com o Palácio do Planalto desembarcam hoje em Brasília, para mais uma reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, certos de que têm um trunfo nas mãos: foi graças a vários deles que o governo conseguiu votos suficientes para aprovar a contribuição dos aposentados do setor público, maior polêmica da reforma previdenciária.

Fortalecidos pela atuação bem-sucedida, os governadores insistirão na partilha do bolo tributário com os estados. Garantem que não abrirão mão de levar parte da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). “Os grandes vencedores nas votações desta semana foram os governadores, que tiveram uma atuação decisiva junto aos deputados, e não o governo federal”, avalia o líder do PFL na Câmara, José Carlos Aleluia (BA). “Ou o governo divide esses recursos e fortalece Estados e municípios, ou não levará nada na reforma tributária”, adverte o primeiro-secretário da Câmara, Geddel Vieira Lima (PMDB-BA).