O Ministério da Defesa informou em nota oficial que as autoridades aeronáuticas decidiram adotar quatro seguintes medidas para corrigir problemas que se verificam na prestação dos serviços aéreos no País. Primeiro, aumentar o efetivo do Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA) com representantes da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) e das empresas aéreas.

Em segundo lugar, a partir das informações centralizadas no CGNA as empresas deverão manter informados os usuários utilizando-se de todos os meios de comunicação e atendimento disponibilizados pela Infraero. Também consta na decisão do governo aproveitar áreas em desuso operacional nos aeroportos ocupadas atualmente como depósitos e colocá-las a serviço do transporte aéreo mediante esforços processuais junto ao Poder Judiciário, quando necessário.

A última decisão é adotar medidas sempre conjuntas da Anac, Infraero, Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) e das empresas aéreas para implementar procedimentos que atendam adequadamente os usuários, prestando-lhes todas as informações e assistência necessárias à execução do serviço público de boa qualidade.