Cerca de cem pessoas participaram de um ato na da Universidade de São Paulo, no Butantã, contra a redução de atendimento no Hospital Universitário (HU), na terça-feira, 7. O grupo percorreu o câmpus e terminou a marcha na frente da reitoria.

Os manifestantes pediram a reposição de vagas no HU, que perdeu cerca de 200 servidores após o plano de demissão voluntária (PDV) na USP.

Como o jornal O Estado de S. Paulo mostrou em março, isso fez com que o atendimento no pronto-socorro fosse reduzido e oito leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), fechados.

“Não houve critérios para fazer a demissão voluntária em cada unidade”, criticou o médico Gerson Salvador. Como o objetivo do PDV era cortar gastos com salários, reposições estão descartadas.

“As outras unidades de saúde locais não comportam a demanda que deixa de ser atendida pelo HU”, afirmou Oscar Martins, representante do Conselho de Saúde da região oeste. De acordo com ele, o problema deve se agravar com o surto de dengue na capital.

Pouco depois do ato, manifestantes se reuniram com representantes da universidade para discutir a questão.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.