O ministro da Educação, Fernando Haddad, disse hoje que o Ministério não vai mandar recolher o livro “Por uma Vida Melhor”, distribuído nas escolas e que permite erros de concordância. “Já foi esclarecido que as pessoas que acusaram esse livro não tinham lido. Uma pena que as pessoas se manifestaram sem ter lido”, afirmou Haddad, na Câmara dos Deputados.

O Ministério da Educação (MEC) distribuiu o livro pelo Programa Nacional do Livro Didático para a Educação de Jovens e Adultos (PNLD-EJA) a 484.195 alunos de 4.236 escolas.

Nele, os autores afirmam que o uso da língua popular – ainda que com seus erros gramaticais – é válido, permitindo frases como “nós pega o peixe” ou “os menino pega o peixe”.