Brasília

– Um acidente de helicóptero interrompeu ontem a operação de fiscalização de pesca ilegal na área costeira entre São José do Norte e Tramandaí, no Rio Grande do Sul. A bordo do Esquilo UH-12 do 5.º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral estavam dois fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e três oficiais da Marinha. Os corpos dos dois pilotos já foram localizados e identificados. As buscas dos outros três tripulantes prosseguem e o helicóptero também continua desaparecido. Segundo a assessoria de imprensa do Ministério do Meio Ambiente, os dois fiscais eram Elvis Ismarte Martins, lotado na cidade do Rio Grande, e José Alfredo da Silva Gonçalves, de Caxias do Sul. Com a ajuda da Marinha, eles tinham a missão de fiscalizar a pesca ilegal na Lagoa dos Peixes, uma área de preservação ambiental que tem comunicação com-mar, por onde barcos pesqueiros costumam entrar. O ministro José Carlos Carvalho está acompanhando o caso e já determinou ajuda às famílias dos fiscais do Ibama.

O helicóptero decolou às 10h30 de anteontem. O último contato ocorreu com o aeroporto de Pelotas, logo em seguida à decolagem. “É com imenso pesar que o Comando do 5.º Distrito informa que foram encontrados na praia, em São José do Norte, os corpos dos dois pilotos”, informou ontem, em nota oficial, a primeiro-tenente Valéria Aguiar Dias, oficial de Relações Públicas.