O responsável pelos disparos que atingiram a menina Kerolly Alves Lopes, de 11 anos, se entregou a polícia na noite dessa segunda-feira, 6. O comerciante George Araújo de Souza, de 24 anos, compareceu a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Aparecida de Goiânia no mesmo dia em que a equipa médica do hospital onde Kerolly estava internada anunciou a morte cerebral da menina. Souza foi apresentado nesta terça-feira, 7. Ele está preso e deve ser ouvido ainda nesta tarde, segundo a polícia civil.

Kerolly foi baleada no dia 27 de abril enquanto tentava defender seu pai, Sinomar Lopes, de uma briga com Souza, dono de uma pizzaria. A discussão aconteceu em frente as estabelecimento e foi gravada pelas câmeras de segurança do local. As imagens mostram Kerolly e sua irmã, de 14 anos, abraçando o pai na tentativa de retirá-lo da briga.

Um das balas atingiu e atravessou a cabeça da menina. Nessa segunda, o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) confirmou a morte encefálica de Kerolly, mas, até esta manhã, os aparelhos continuavam ligados e a família ainda não havia se pronunciado sobre a doação de órgãos.

Souza chegou a se apresentar à polícia no mesmo dia do crime. Ele forneceu as imagens das câmeras de segurança da pizzaria e alegou legítima defesa. A gravação, no entanto, mostra ele disparando mesmo após tentativa de fuga do pai e das duas filhas. O comerciante, que não pode ser preso em flagrante, estava foragido. Ele já tem passagem por perturbação da ordem pública e não possuía porte legal de arma.