Cerca de cem militantes ligados a movimentos homossexuais fizeram uma manifestação hoje contra o arcebispo de Porto Alegre, dom Dadeus Grings, a quem acusam de tentar vincular um ato criminoso, a pedofilia, ao homossexualismo. O grupo ficou uma hora fazendo discursos e exibindo faixas e bandeiras diante da catedral metropolitana para contestar declarações recentes do polêmico arcebispo.

No dia 4 de maio, em Brasília durante assembleia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Grings afirmou que “a sociedade atual é pedófila” e que “denunciar isso é um bom sinal”. Em outro comentário, também transcrito pelos jornais no dia seguinte, afirmou: “Quando a sexualidade é banalizada, é claro que isso vai atingir todos os casos. O homossexualismo é um caso. Antigamente não se falava em homossexual. E era discriminado. Quando começa a (dizer) que eles têm direitos, direitos de se manifestar publicamente, daqui a pouco vão achar os direitos dos pedófilos”.

Os manifestantes destacaram que o protesto foi uma resposta às palavras do arcebispo, que geram mais preconceitos quando associam homossexualismo e pedofilia. Grings não comentou a manifestação dos homossexuais.