O número de pessoas com dez anos ou mais de idade que declararam no ano passado ter utilizado a internet somou 67,9 milhões, um salto de 21,5% em relação a 2008, o que representa um acréscimo de 12 milhões de novos usuários da web nesse período. Os dados foram anunciados hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em sua Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2009. O instituto informou ainda que, ao se comparar o número de usuários de internet de 2005, que girava em torno de 31,9 milhões de pessoas, houve um aumento de 112% de 2005 a 2009 no número de pessoas que declararam ter utilizado a internet.

A pesquisa também revelou que, em um universo estimado de 58,5 milhões de domicílios, a proporção de lares que possuíam microcomputador subiu de 31,2% para 34,7% de 2008 para 2009. A fatia de domicílios com acesso à internet também cresceu no mesmo período, saltando de 23,8% para 27,4% do total.

O IBGE apurou ainda que o avanço no acesso à internet ocorreu de forma mais acelerada entre as pessoas mais jovens. Entre as pessoas de 10 a 14 anos de idade, o porcentual de usuários de internet subiu de 51,1% em 2008 para 58,8% do total no ano passado. Entre os adolescentes de 15 a 17 anos, a fatia de usuários de internet no total cresceu de 62,9% para 71,1%. Já entre os jovens de 18 a 19 anos, a proporção de usuários de internet subiu de 59,7% para 68,7%, no mesmo período. Em contrapartida, na faixa etária de 50 anos ou mais, o porcentual de usuários da web subiu de forma menos intensa, de 11,2% em 2008 para 15,2% em 2009.

Ao detalhar o acesso à internet no Brasil, a PNAD também investigou se o avanço da web no País foi igual entre homens e mulheres. Segundo o levantamento, o aumento no contingente de mulheres com acesso à internet foi de 22,9% de 2008 para 2009, mais forte do que a taxa de crescimento no número de homens com acesso ao serviço, que foi de 20% para o mesmo período.

Usuários de celular

No ano passado, 94 milhões de pessoas de dez anos ou mais de idade declararam possuir telefone móvel celular, um salto de 8,7% em relação a 2008, o que representa um acréscimo de 7,6 milhões de usuários de telefonia móvel nesse período, segundo a PNAD.

A pesquisa também revelou que cresceu o número de residências que só possuem telefone celular. Em um universo estimado de 58,5 milhões de domicílios, a fatia dos que tinham somente telefonia móvel subiu de 37,6% para 41,2% de 2008 para 2009, somando 24,1 milhões de domicílios. Nos cálculos do instituto, o acréscimo de residências no período que possuíam somente telefone celular foi de 2,5 milhões.

O IBGE também investigou o avanço da penetração da telefonia nos lares brasileiros. O acesso a qualquer tipo de telefone, seja fixo ou celular, cresceu de 82,1% do total de domicílios para 84,3%, alcançando 49,3 milhões de residências, o que representou um acréscimo no período de 2,1 milhões de domicílios com posse de algum tipo de telefone.