São Paulo

– Nova pesquisa do Ibope, encomendada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) e divulgada ontem, revela que em três dias o candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) caiu dois pontos, de 41% para 39% e suas chances de vencer as eleições ainda no primeiro turno ficaram mais difíceis. A queda de Lula é em relação ao levantamento anterior do Ibope dos dias 14 e 16 de setembro, feito para a Rede Globo.

O candidato José Serra (PSDB) permanece com os mesmos 19% da pesquisa anterior, enquanto Ciro Gomes (PPS) e Anthony Garotinho (PSB) estão empatados com 14% das preferências. O primeiro subiu dois pontos em relação ao levantamento anterior e o segundo, um ponto. Votos brancos e nulos somam 4%. No resultado da pesquisa espontânea do Ibope, Lula aparece com 32% das intenções de voto e Serra com 14%. Ciro Gomes e Anthony Garotinho ficam empatados com 10%.

Numa simulação de segundo turno, o candidato Lula venceria hoje José Serra com 51% contra 37% das intenções de voto. A disputa entre Lula e Ciro ficaria em 52% dos votos para o candidato do PT e 34% para o pepessista. Quando perguntados quem os entrevistados acham que vai vencer as eleições, o levantamento mostra que 52% deles acreditam na vitória do candidato do PT. José Serra ficou com 17%, enquanto Garotinho e Ciro Gomes estão empatados com 8%.

A rejeição de Luiz Inácio Lula da Silva, segundo pesquisa Ibope, é a menor entre todos os presidenciáveis (28%). O levantamento mostra que José Serra tem rejeição de 40%, enquanto Ciro Gomes ficou com 41% e Anthony Garotinho, com 43%. O Ibope perguntou se os eleitores poderiam votar num candidato indicado pelo presidente Fernando Henrique Cardoso. A resposta de 48% dos eleitores foi de que não mudariam seu voto por influência de uma indicação de FHC. Outros 34% informaram que poderaim deixar de votar por causa da indicação e apenas 14% teriam sua preferência influenciada positivamente pelo apoio do presidente.

O Ibope entrevistou 2 mil pessoas em 140 municípios durante os dias 17 a 19 de setembro. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais para cima ou para baixo. Para o levantamento anterior, foram entrevistadas 3 mil pessoas e a margem de erro era de 1,8 ponto percentual para cima ou para baixo.

O consultor político da CNI, Ney Figueiredo, observou que a oscilação de Lula na pesquisa de 41% para 39% não beneficiou diretamente o candidato José Serra. “Os votos de Lula foram para Garotinho e para Ciro.” Analistas em pesquisas, especialistas em marketing eleitoral e cientistas políticos apostam também na realização de um segundo turno na eleição presidencial.

Segundo o especialista em marketing eleitoral, Marco Iten, as novas pesquisas de intenção de voto devem consolidar a necessidade de um segundo turno para definir o nome do novo presidente do País. “Lula já atingiu o pico de seu eleitorado. A tendência agora é ele cair nas pesquisas, o que indica a necessidade de haver um segundo turno eleitoral”, disse. Segundo ele, os eleitores indecisos devem decidir seu voto na última hora, entre a última semana de setembro e a primeira de outubro. Para Iten, esse eleitor indeciso, que tem poder para reverter o resultado das urnas, não vai votar em Lula.

“Quem vai votar em Lula já decidiu seu voto. O indeciso está procurando um anti-Lula para decidir em quem votar.