Brasília – O presidente da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), Sergio Gaudenzi, pediu que a Controladoria-Geral da União (CGU) faça um acompanhamento das ações da empresa a partir de agora. O objetivo é ampliar o trabalho em conjunto para identificar irregularidades e evitar novos problemas na gestão dos aeroportos brasileiros.

?Ontem já fizemos uma reunião [com o ministro Jorge Hage] para vermos como vamos trabalhar. Eu quero trabalhar com a CGU?, disse Gaudenzi, nesta terça-feira (21), durante audiência pública na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Apagão Aéreo do Senado.

Ele afirmou que já tem conhecimento de irregularidades em licitações da empresa e tomou providências para resolver esse problema. ?Há uma possibilidade de, junto ao Tribunal de Contas da União, termos uma planilha de preços para a Infraero. Há seguramente problemas com a planilha usada, que também é adotada para a construção civil. Essa planilha não se adapta à área de licitações em aeroportos.?

Questionado sobre rever as licitações com problemas, Gaudenzi disse que não tem ?medo de voltar atrás em decisões?. "Se houver algum apontamento da CGU, do TCU ou da CPI, eu tomarei as providências.?

Atualmente, várias licitações da empresa estão sendo analisadas por órgãos como o Tribunal de Contas da União e Ministério Público Federal, grande parte delas com indícios de irregularidades.