A campanha pela recuperação de peças históricas roubadas ou desaparecidas, lançada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em outubro, começa a dar resultado. O Iphan recebeu dois objetos: um ferro de passar do século 19 e uma piroleta – ornamento do terminal de encosto de cadeira – do século 18, ambos em bronze fundido. Os objetos faziam parte do acervo do Museu da Inconfidência, em Ouro Preto (MG), onde eram expostos como exemplares característicos da época.

A pessoa que devolveu as peças preferiu não se identificar. Ela disse que os objetos foram furtados por seus pais nos anos 70 e que, ao tomar conhecimento da campanha, decidiu devolver o material ao local de origem. As peças estão no Iphan do Espírito Santo, onde foram entregues, e serão novamente integradas ao acervo do museu.

Neste ano, a campanha do Iphan incluirá a colocação de banners em aeroportos com alerta de que é crime comprar e vender peças de arte ou antiguidades roubadas e o apelo para que a população ajude na busca por esses bens, que compõem o patrimônio cultural brasileiro. O instituto também lançará um livro com imagens e descrições das principais obras procuradas, para ser distribuído amplamente. As informações sobre os bens e como participar da Campanha pela Recuperação dos Bens Procurados podem ser obtidas no site www.iphan.gov.br