São Paulo – O engenheiro Bruno José Daniel Filho, irmão mais novo do prefeito de Santo André, Celso Daniel, acusou o PT e a polícia paulista de serem omissos e criarem obstáculos às investigações do assassinato. A família comunicou ontem que pedirá à Justiça que o processo sobre o caso deixe de correr em segredo de Justiça. Segundo ele, os parentes querem ter acesso às informações e têm convicção da existência de uma falsa história em torno do crime. O presidente nacional do PT, José Genoino, disse lamentar que Bruno Daniel Filho “se preocupe mais em atacar o partido do que defender a memória do irmão”.

Segundo Bruno Daniel, o único membro do PT envolvido no episódio e que ajudou a família foi o vice-prefeito Hélio Bicudo. “Quem presenciou a necropsia mentiu para nós”, afirmou ele, citando dos deputados Jamil Murad (PC do B-SP) e Luiz Eduardo Greenhalgh (PT-SP).

José Genoino disse que confia plenamente no trabalho de Greenhalgh, escalado pelo partido para acompanhar as investigações sobre o assassinato, em janeiro do ano passado. “As acusações de Bruno Daniel de que o partido mentiu para a família sobre o assassinato são improcedentes”, disse Genoino.