A cidade catarinense de Joinville, uma das atingidas pelos temporais no estado, já registra 14 casos de leptospirose, sendo 11 homens, uma mulher e duas crianças. De acordo com o último boletim divulgado pela prefeitura do município, a Secretaria Municipal de Saúde recebeu na quarta-feira (17) a confirmação de mais dois casos.

Segundo o comunicado, todos os pacientes estão recebendo tratamento médico e dois são considerados casos “importados” – o de um homem de 24 anos que mora no município de Garuva e o de uma menina de 11 anos que vive em Blumenau. Apesar de residirem em outras cidades, o registro da doença foi feito em Joinville.

Até quarta, a Vigilância Epidemiológica de Joinville já havia enviado para análise 240 amostras coletadas de pessoas que apresentaram os sintomas da doença. Desses, 64 já apresentam resultados (14 casos confirmados, cinco considerados inconclusos e que serão submetidos a nova análise e 45 descartados).

A nota alerta que a leptospirose é uma doença tratável, mas que o diagnóstico precoce é fundamental para evitar complicações. Os sintomas, em geral, aparecem entre dois e 30 dias após a infecção. Entre elas estão: febre alta de início súbito, sensação de mal-estar, dor de cabeça constante e acentuada, dor muscular intensa, cansaço e calafrios.

Dor abdominal, náuseas, vômitos e diarréia também são freqüentes em pacientes com leptosipirose e podem levar à desidratação. É comum ainda que os olhos fiquem acentuadamente avermelhados e que alguns doentes apresentem tosse e faringite.

Após dois ou três dias de aparente melhora, os sintomas podem reaparecer – ainda que menos intensamente. Nesta fase, é comum o aparecimento de manchas avermelhadas no corpo e de meningite.