Um rapaz de 21 anos foi baleado no pescoço e morreu na noite desta sexta-feira, 11, depois de atropelar um militar da Marinha que fazia o bloqueio de uma rua na localidade de Moneró, na Ilha do Governador (zona norte). Felipe Jordão da Silva Ferreira, cobrador de van, foi baleado por um sargento da Marinha, colega do militar atropelado.

Segundo a polícia, por volta das 23 horas, Felipe tentou furar o bloqueio, feito por fuzileiros navais, e acabou atropelando um dos batedores que fechavam a Rua Jaime Perdigão. A irmã da vítima, Fernanda, de 23 anos, que estava no banco do carona, disse aos policiais que, depois do atropelamento, um militar disparou, de dentro de um carro da Marinha, contra a janela do motorista e atingiu Felipe.

Sem controle, o carro de Felipe bateu contra uma árvore. Fernanda teve ferimentos leves na batida.

Em nota, a Marinha informou que “militares que realizavam a sinalização de uma via durante escolta a uma carreta foram surpreendidos quando um veículo, em alta velocidade, furou o bloqueio militar e atropelou um dos militares”. Segundo a Marinha, “o outro militar, que também realizava a escolta para transporte de um blindado do Corpo de Fuzileiros Navais, reagiu disparando um tiro contra o veículo que furou o bloqueio”. Um Inquérito Policial Militar (IPM) foi instaurado para apurar o caso.

Na Polícia Civil, a investigação é feita pela Divisão de Homicídios da capital (DH). Durante a madrugada deste sábado, 12, o autor do disparo que matou Felipe e testemunhas foram ouvidos na DH, que procura imagens de câmeras instaladas na região. O militar atropelado, segundo-sargento fuzileiro naval Wanderson Almeida Noia de Oliveira, foi levado para o Hospital Naval Marcílio Dias e está em observação.A Marinha e a polícia não revelaram o nome do militar que matou Felipe.