Os três adolescentes suspeitos da morte do médico Jaime Gold voltarão ao Fórum Regional da Leopoldina, em Olaria, na zona norte do Rio, às 13h desta quarta-feira, 17, para a audiência de instrução sobre o caso. Desta vez, entretanto, eles não serão ouvidos: falarão testemunhas de defesa e representantes do Ministério Público.

Os jovens foram ouvidos pela primeira vez em audiência de apresentação no mesmo fórum no dia 8 de junho. A partir deste dia, os advogados dos três tiveram três dias para entregar à Justiça a defesa dos jovens por escrito. Segundo o Tribunal de Justiça do Rio, o processo corre em segredo de Justiça.

Todos os suspeitos, a pedido do MP, estão sob os cuidados do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase). Em depoimento na audiência do dia 8 de junho, os dois últimos adolescentes apreendidos inocentaram o primeiro, de 16 anos. Os advogados de defesa dele, Alberto Júnior e Djefferson Amadeus, entraram com um Habeas Corpus em favor do jovem, que até a noite de terça-feira, 16, não havia sido apreciado.

De acordo com o laudo da necropsia, as facadas desferidas por assaltantes que mataram o médico Jaime Gold, de 56 anos, no dia 19 na Lagoa Rodrigo de Freitas, na zona sul, atingiram o pulmão esquerdo e até o rim esquerdo da vítima. Um dos golpes – a polícia afirma que foram quatro facadas – rasgou uma axila da vítima. No documento, consta que o médico morreu por causa de hemorragia interna decorrente das perfurações.