O juiz Aristóteles de Alencar Sampaio, do Fórum de Pirapozinho, determinou hoje a desocupação da Fazenda Santa Fé, em Sandovalina, no Pontal do Paranapanema. A área está ocupada desde sábado por cerca de 1.500 sem-terra. A liminar foi dada em ação de reintegração de posse movida pelo proprietário da fazenda, Luciano Alberto Moreira.

O juiz deu 48 horas para a desocupação da área. Moreira alegou que a propriedade é produtiva e os invasores estão destruindo as benfeitorias. Caso os sem-terra não deixem o local  será feito o despejo com o uso de força policial. 

O risco de confronto preocupa as autoridades judiciárias. O promotor de Pirapozinho, Marcos Akira Mizusaki, vai ao acampamento amanhã (11) para convencer os invasores a cumprir a ordem judicial. No sábado, os sem-terra entraram em conflito com funcionários da prefeitura e policiais de Sandovalina. Duas máquinas do município e duas viaturas da Polícia Militar foram depredadas e quatro pessoas ficaram feridas, entre elas o prefeito Divaldo Pereira de Oliveira (PMDB).

Domingo um grupo de encapuzados atacou o acampamento dos sem-terra. Foram disparados mais de 100 tiros. As balas perfuraram a lona e atingiram vasilhames, mas não feriram ninguém. Ontem os sem-terra disseram que encapuzados voltaram a rondar a área.

É a segunda vez este ano que a Santa Fé e invadida por integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST). Na invasão anterior, a desocupação foi pacífica.

Rainha – O juiz de Teodoro Sampaio, Átis de Araujo Oliveira, deve decidir nesta quarta-feira se aceita o pedido de revogação da prisão preventiva do líder do MST no Pontal, José Rainha Júnior, protocolado ontem pelo advogado Hamilton Belotto Henriques.

Acusado de formação de quadrilha, Rainha está preso na cadeia de Presidente Wenceslau. O processo estava sendo analisado pelo promotor Marcelo Cresti, no fim da tarde de hoje.