Brasília – O Supremo Tribunal Federal se prepara para julgar o mensalão. Começa nesta quarta-feira (22) a análise da denúncia do procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, enviada em março do ano passado, de que havia uma organização criminosa de 40 pessoas especializada em desviar dinheiro público e comprar apoio político. O Supremo reservou inicialmente três dias, mas o prazo pode ser estendido se não for possível concluir o julgamento.

As sessões terão início às 10 horas, com intervalo para almoço. O relator do inquérito, ministro Joaquim Barbosa, começará o processo com a leitura de seu relatório de aproximadamente 50 páginas, um resumo do processo. Em seguida, o procurador-geral apresentará seus argumentos. Na terceira etapa, será a vez dos advogados de defesa. Na quarta e quinta etapas, os ministros começarão a decidir seus votos. Vão analisar os argumentos da defesa e ouvir as cerca de 400 páginas do voto do relator.

O tribunal deverá decidir se aceita ou não a denúncia enviada pelo procurador-geral. Os ministros vão analisar a consistência das acusações e dizer se o processo deve ou não continuar. Ninguém será condenado ou absolvido. Caso a denúncia seja acolhida, por inteiro ou em parte, os denunciados passarão a responder como réus em ação penal.

O cientista político Juliano Corbellini afirmou, em entrevista à Rádio Nacional, que o julgamento final não deve acontecer rapidamente. ?De maneira fria e realista, acho que o processo no Judiciário será longo. Creio também que tem de ser assim?.

Segundo ele, a Justiça deve julgar calmamente. ?O país fez seu julgamento político e teve um processo eleitoral onde pôde se pronunciar pela continuidade do próprio governo. Passada a crise política detonada pelo mensalão, o julgamento, a avaliação jurídica das denúncias, das provas e da sua consistência, tem de ser feita com calma. Porque se todo processo for avaliado pelo Judiciário de maneira açodada, pressionada pela opinião pública e pelo sistema político, a possibilidade de cometer injustiças se torna muito grande?.