Recife (ABr) – O presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco, desembargador Macedo Malta, suspendeu por 10 dias a liminar concedida pelo juiz José Ulisses Filho, da sétima Vara da Fazenda Pública, na última quinta feira (24), anulando o reajuste de 9,55% das passagens de ônibus do Recife e região metropolitana. Com a medida, a menor tarifa continua a ser de R$1,65 e a maior de R$ 2,50.

O aumento, em vigor desde o último dia 13, provocou uma onda de manifestações por parte dos estudantes secundaristas de Pernambuco. Eles promoveram passeatas, interdições de ruas e atos de vandalismo com depredações de ônibus, que resultaram em confrontos com a polícia. As ações causaram pânico à população que depende do transporte coletivo, além de engarrafamentos e fechamento do comércio.

Antes de tomar uma decisão definitiva, o desembargador pretende ouvir o depoimento de representantes da Defesa do Consumidor do Ministério Público, que alegaram ser o reajuste ilegal e abusivo, como também os integrantes do Conselho Metropolitano de Transportes Urbanos, que defendem a majoração acima do índice oficial de inflação.

Está marcada para a próxima semana, em Brasília, uma reunião onde será solicitada a redução do imposto que incide sobre o óleo diesel, usado pelo transporte público de passageiros.

Os estudantes asseguram que as manifestações vão continuar de forma pacífica até que o governo autorize a queda do preço das passagens dos coletivos. A medida vai beneficiar 1,8 milhão de usuários do sistema.