O presidente da Associação dos Moradores da Vila Cruzeiro, no Complexo do Alemão, na Penha, subúrbio da capital, João Rato, está prestando depoimento na 22ª DP (Penha). Ele chegou no início da tarde, acompanhado de seu advogado.

Em operação na Favela da Grota, também no Complexo do Alemão, policiais do 16º Batalhão encontraram armas, munição, uma granada, maconha e uma moto roubada na casa de Renato de Souza Paula, conhecido como Ratinho, traficante ligado ao grupo de Elias Maluco, que seria o mandante da execução do jornalista Tim Lopes. Ratinho foi apontado por dois traficantes presos domingo como um dos executores do jornalista. Na reportagem da TV Globo ?Feira das Drogas?, que recebeu o primeiro Prêmio Esso de Telejornalismo, feita por Tim Lopes, Ratinho aparece empunhando um fuzil. Ele chegou a ser preso em outubro do ano passado, mas fugiu.

Cerca de 50 policiais fizeram buscas durante o dia atrás do corpo do jornalista. No início da tarde foram encontradas três ossadas na Favela da Grota. Antes de anoitecer, os policiais suspenderam a operação, que devem reiniciar pela manhã

Segundo os dois bandidos presos ontem, o repórter Tim Lopes, de 51 anos, foi torturado e executado no final da noite de domingo passado naquela favela. A polícia investiga a informação de que o corpo do jornalista esteja enterrado no alto daquele morro, ao lado de uma caverna que os bandidos chamam de ?microondas?, pois é usada para queimar os corpos de seus rivais.

Os bandidos Fernando Sátiro da Silva, de 25 anos, o Frei, e Reinaldo Amaral de Jesus, de 23 anos, o Cabê, foram presos em casa no domingo, enquanto dormiam, no Morro da Caixa D?água, às 7h, durante uma operação que durou 1h30m e mobilizou 50 policiais civis. Eles negam a participação na execução do repórter. No entanto, contam em detalhes o momento em que o jornalista foi levado pelos traficantes e seu assassinato. (Fonte:AG)