Líderes da base governista e da oposição preparam-se para cobrar ainda hoje, do presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Senado, Sibá Machado (PT-AC), a definição do nome do novo relator da representação do PSOL contra o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL). O exame do caso está parado no Conselho desde a semana passada, quando o relator substituto Wellington Salgado (PMDB-MG) renunciou.

?Os próximos passos dependem do relator, que estabelece o rito de investigação. O nome deve estar escolhido nesta segunda-feira?, defende o líder do PSB, senador Renato Casagrande (ES). ?Caso Sibá não consiga definir a escolha, terá que chamar uma reunião dos líderes para conversar e dividir responsabilidades?, destaca.

Embora Renan tenha mudado de tática no Conselho e deixado claro que não tem mais nenhuma pressa em encerrar seu caso, Casagrande diz que não se pode adiar o resultado para depois do recesso parlamentar de julho, como já foi cogitado. ?O conselho tem de ter agilidade e resolver isto logo.? É o que também defende o líder do PDT, Jefferson Peres (AM), para quem a relatoria do caso tem de ser resolvida o mais rápido possível.

A idéia proposta pelo próprio Sibá na última semana, de se nomear uma comissão de investigação para relatar o caso, composta por três senadores de partidos diferentes, agradou a oposição. ?Uma comissão com um senador da oposição daria mais credibilidade à investigação?, avalia Peres, que aguarda uma definição até quarta-feira. Mas os tucanos duvidam da viabilidade da proposta. ?Se está difícil arrumar um relator, como vão arrumar três??, indaga o senador Sérgio Guerra (PSDB-PE).