Torres – Há pelo menos dez anos gaúchos e catarinenses esperam a duplicação da BR-101, prometidas por muitos políticos, mas até hoje não concretizada. Ontem, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou, em duas cerimônias o lançamento da ordem de serviço para início das obras de duplicação da estrada entre Osório (RS) e Palhoça (SC) e anunciou a liberação de R$ 500 milhões dos R$ 2,4 bilhões previstos para gastos até 2007, quando se espera que os 348 quilômetros estejam prontos.

Durante discurso, Lula determinou ao ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, que anunciasse, de público, o seu telefone, para que as pessoas pudessem denunciar caso as obras fossem paralisadas. "Nós estamos aqui avisando para vocês que essas máquinas vão ter de funcionar. O ministro Alfredo vai ter de dizer de público o telefone dele porque eu já estou cansado de ver, no Brasil, inauguração de obra que o povo vai embora e as máquinas vão embora e não começam a trabalhar. Nós vamos ter de fazer as máquinas trabalharem porque precisamos da estrada, de gerar emprego e de gerar desenvolvimento", avisou o presidente.

Luiz alimentou ainda mais a polêmica com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, ao dizer que o Brasil entrou definitivamente em rota de crescimento e aqueles que ficaram torcendo pelo fracasso do País vão ter de pedir desculpas. "Não a mim, mas ao povo", ressaltou.